MENU - navegue pelas categorias

6 dicas para fazer a renegociação da sua dívida

Na hora da contração de dívidas, muitas pessoas se deixam levar ao desespero. Entretanto, essa situação é corriqueira, podendo ser consertada com algum esforço e dedicação. Dessa maneira, a fim de reorganizar o orçamento e promover o seu reequilíbrio financeiro, você pode fazer a renegociação da sua dívida.

Para isso, você pode recorrer a algumas estratégias bastante eficazes que têm o poder de colocar sua saúde financeira nos eixos novamente. Assim, caso você siga essas dicas abaixo, é muito provável que obterá resultados positivos de forma rápida e prática.

1. Liste tudo o que você deve

O primeiro passo para a renegociação da sua dívida é listar tudo o que você deve. Afinal, quando detectamos um problema, devemos ter consciência de sua gravidade. Sendo assim, sente com calma e separe papel e caneta. Ainda, se preferir, baixe aplicativos ou faça uso de planilhas para começar a organização.

Liste, das maiores às menores, cada uma de suas dívidas, não se esquecendo dos credores correspondentes. Para saber o tamanho do prejuízo, é essencial não deixar nada para trás: cartões de crédito, cheque especial, carnês, empréstimos, financiamentos e boletos. Esse é o início para que você consiga a renegociação da sua dívida; logo, empenhe-se!

2. Saiba todos os seus gastos mensais

Fazer uma tabela com o seu orçamento mensal é imprescindível para que você consiga se organizar em relação ao dinheiro. Deve haver um planejamento mensal acerca do que entra e sai da sua conta. Por isso, um estímulo adicional é anotar todos os seus gastos para saber onde você está concentrando mais a sua renda.

Essa ação, por sua vez, pode servir para você economizar e evitar contrair novas dívidas enquanto busca pela renegociação das antigas.

3. Chegou a hora da renegociação da sua dívida

Após você já haver listado tudo o que você deve e todas as suas dívidas, sabendo seus gastos mensais, é hora de pensar na renegociação em si. Converse com seu credor e esteja muito ciente do que isso pode significar para as suas finanças.

Assim, você deve se informar sobre alguns fatores. Verifique:

– se haverá desconto sobre a dívida total;

– as taxas de juros, se houver parcelamento.

Ademais, se puder pagar à vista, peça mais desconto! Aventure-se pelas suas possibilidades e tente minimizar os danos ao máximo na hora da renegociação da sua dívida. Não se esqueça também de pedir ao credor a carta de quitação para saber em quanto tempo você estará regular em empresas como o Serasa (caso esteja negativado).

4. Não aceite qualquer proposta para a renegociação da sua dívida

Embora você provavelmente esteja sem muitas esperanças de conseguir acertar as coisas, não aceite qualquer proposta de renegociação! Evite, sobretudo, aquelas que não condizem com as sua atual situação financeira.

Questione-se se sobre o que é melhor para você no momento, se é uma parcela com menos juros, um prazo maior para pagar, etc. Apenas não decida nada por impulso! Desse modo, considere todas as suas opções antes de tomar alguma providência e procure bastante por uma proposta que lhe seja conveniente.

5. Tenha cuidado para não contrair novas dívidas

Esse é um conselho que você, com certeza, precisa seguir! Uma das lições a serem seguidas é tentar ao máximo evitar novas dívidas. Para isso, é necessário manter uma agenda diária de gastos ou uma planilha atualizada.

Assim, será possível controlar melhor todas as suas finanças e, logo, manter uma vida financeira mais saudável. Além disso, tornará sua renegociação muito mais prática, visto que você estará focado em quitar as suas dívidas pendentes.

6. Transfira sua dívida para outro agente financeiro

Uma opção de último caso é transferir suas dívidas para outro agente financeiro. A princípio, essa é uma disponibilidade para que os consumidores transitem entre os bancos, melhorando as propostas. Nesse caso, é essencial que você conheça bem a instituição que assumirá suas dívidas e às condições do agente financeiro.

É possível solicitar esse serviço a qualquer momento, mediante cancelamento do contrato e quitação antecipada da dívida no banco original.

Assim que você seguir alguns desses passos (ou até mesmo, todos), será muito mais fácil e menos burocrático adquirir, enfim, a renegociação da sua dívida. Logo, não perca mais tempo! E, se precisar de um empréstimo consignado, conte com a Facilita!