MENU - navegue pelas categorias

6 dicas para controlar suas finanças

Economizar e juntar dinheiro para o fim do mês não é uma tarefa nada fácil; porém, ela é necessária. Temos boletos, alimentação e diversas outros gastos mensais imprescindíveis à nossa sobrevivência. Por conta disso, você precisa aprender a controlar suas finanças a fim de organizar sua vida financeira e, sobretudo, a pessoal.

Você sabe todos os seus gastos diários ou lembra exatamente quanto custou aquela roupa no início do mês? Se respondeu não, saiba que controlar suas finanças, grandes ou pequenas, é fundamental para ter uma vida equilibrada. Acompanhe aqui 8 dicas de como fazer isso da maneira mais produtiva.

Controlar suas finanças

Como controlar suas finanças

1. Anote seus gastos diários

Uma das formas mais simples de controlar seu dinheiro é anotar tudo o que você gasta. Seja em uma planilha do Excel ou em um bloco de notas, anotar o seu consumo durante o mês é essencial. Por meio desse hábito, você saberá exatamente se está faltando dinheiro quando não deveria ou quais são suas dívidas, por exemplo. Portanto, quando for comprar ingresso para um show, ou mesmo comer em algum restaurante, crie o costume de ter seus gastos registrados em algum lugar.

Também é importante anotar coisas aparentemente insignificantes, como aquela ida ao supermercado em que você gastou 20 reais. São essas situações em que nosso dinheiro vai embora sem que percebamos, e esse hábito fará com que você esteja a par de tudo que precisa. Mais uma dica é customizar e decorar suas anotações, para que essa função diária possa se tornar algo divertido e estimulante.

2. Acompanhe e quite suas dívidas

Essa aqui é uma das dicas mais importantes na hora de controlar as finanças. Para começar, anote todas as suas dívidas, sejam elas de pequeno ou grande porte. Em seguida, quando receber e tiver o dinheiro em mãos, não perca tempo! Se estiver devendo 15 reais para um amigo, por exemplo, faça questão de pagá-lo o quanto antes. Esse costume trará um alívio enorme para sua vida financeira, e as pessoas terão uma confiança maior em você.

As dívidas maiores, por sua vez, também estão incluídas nessa estatística. Quando a parcela do seu aluguel estiver prestes a vencer, pague essa dívida primeiro. Então, sempre se pergunte o que mais importa em sua vida no momento e faça dessas coisas suas prioridades financeiras. No fim do mês, a sensação de dever cumprido será muito satisfatória!

3. Gaste com o que te interessa

Para ter certeza de que uma compra é realmente necessária, pergunte-se se você realmente vai aproveitá-la por bastante tempo. Quem nunca foi ao shopping dizendo precisar de uma roupa nova e depois utilizou-a apenas uma vez? O desejo de consumo é inerente ao ser humano, porém é preciso ponderar sobre a real utilidade do que se está comprando. Ademais, sobre o que esse impulso causará em sua vida financeira.

A princípio de tudo, você deve saber seus objetivos na hora de realizar uma compra. Se você for a uma loja com o intuito de comprar um livro, não convém buscar por outras coisas que não sejam esse livro. Muitas vezes, compramos algo que não traz benefício algum a longo prazo, e isso acaba se tornando prejudicial aos nossos bolsos.

Outro caso em que devemos ter objetivos de compras são em investimentos futuros. Quando planejamos uma viagem, por exemplo, estamos investindo em algo que nos interessa muito. Portanto, esse investimento é um projeto que deve ser calculado com antecedência. Dessa maneira, o planejamento é fundamental para haja tranquilidade na hora de realizar planos importantes em nossas vidas.

4. Pague mais à vista

Um truque muito bom para controlar as finanças do mês é tentar diminuir o uso dos cartões de crédito. Muitas vezes ficamos sujeitos à tentação de comprar algo desnecessário e concluímos a compra por possuir um cartão em mãos. Já que não vemos o dinheiro “indo embora”, tendemos a apresentar maior tranquilidade e menos culpa ao comprar dessa maneira.

Por conta disso, adote o hábito de levar dinheiro contado para os lugares, como a uma lanchonete, por exemplo. Apesar de difícil, essa dica faz com que apenas compremos o necessário e guardemos um dinheiro que seria gasto à toa.

Para compras maiores, quando possível, tente também pagar à vista no dinheiro ou cartão de débito. O cartão de crédito muitas vezes tem parcelas com juros altos e que se acumulam ao longo das prestações. Por isso, avalie bem os juros e suas condições no momento, para que não haja surpresas na hora do pagamento. Fazendo isso, você se sentirá estimulado a alcançar metas na hora de guardar dinheiro, o que é muito importante para uma vida financeira saudável.

5. Fique atento às promoções

Promoções também são muito bem-vindas na hora de economizar! Fique atento às redes sociais de suas lojas preferidas e avalie a melhor hora para investir em algo que você quer muito. O segredo é saber esperar e não agir por impulso na hora das compras. Imagine que você comprou um livro por 50 reais e, no dia seguinte, ele apareça por 30 na liquidação da mesma loja! Você ficaria frustrado, não é mesmo?

É por esse motivo que devemos estar sempre informados e “garimpar” bastante antes de uma compra. Portanto, saber procurar e avaliar preços de um produto é essencial, definindo um consumidor consciente que sabe controlar suas finanças.

6. Crie uma reserva financeira

Por último, mas não menos importante, vem a necessidade de criar uma reserva para o seu dinheiro. No dia a dia, utilizamos dinheiro o tempo inteiro, mas um local para guardar o restante é imprescindível. Uma das vantagens disso é que você não terá acesso direto à sua renda, o que te fará economizar e guardar para planos futuros ou emergências.

A abertura de uma conta poupança é a maneira ideal de se fazer isso, pois é uma forma segura e prática de administração. Você pode, por exemplo, aplicar em sua poupança 15% de seu salário todo mês. Para não haver esquecimentos ou desculpas, você pode programar a transferência mensal dessa quantia no banco. Desse modo, quando surgir algum imprevisto, você não passará apertos financeiros ou cairá em tentação de gastar.

E então, gostou das nossas dicas sobre como controlar suas finanças? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Comente! Além disso, entenda também como o empréstimo consignado pode te ajudar a quitar dívidas.